O Sangue dos Vampiros - clique aqui

O Sangue dos Vampiros - clique aqui
conheça mais sobre o livro O Sangue dos Vampiros - 2017

Livro Luar de Sangue da autora Dione M. S. Rosa

Livro Luar de Sangue da autora Dione M. S. Rosa
Livro que pode ser adquirido diretamente com a autora - clique no banner para conhecer o blog da autora.

sábado, 29 de novembro de 2014

ANUÁRIO BRASILEIRO DE LITERATURA FANTÁSTICA 2013: OS PRIMEIROS DEZ ANOS

ANUÁRIO BRASILEIRO DE LITERATURA FANTÁSTICA 2013:
OS PRIMEIROS DEZ ANOS
Marcello Simão Branco & Cesar Silva



Título: Anuário Brasileiro de Literatura Fantástica 2013
Autores: Marcello Simão Branco & Cesar Silva
Capa: Teo Adorno
Coleção: Enciclopédia Galáctica
Acabamento: Brochura com laminação brilhante e orelhas
Miolo: 408 páginas PB em papel off-set 75 g/m²
Formato: 14,0 cm × 21,0 cm
ISSN: 977-2178-624005-13
Código de Devir: DEV333111


Numa iniciativa dos jornalistas e pesquisadores de ficção científica e fantasia Marcello Simão Branco e Cesar Silva, o Anuário Brasileiro de Literatura Fantástica foi publicado pela primeira vez em 2005. Apresenta um amplo e profundo panorama do cenário fantástico nacional, em suas três manifestações principais, a ficção científica, a fantasia e o horror, além de contemplar também as criações híbridas entre estes gêneros e os chamados trabalhos de “fronteira”, isto é, o fantástico abordado a partir da perspectiva do mainstream literário.

Contém notícias sobre prêmios e personalidades, artigos sobre o mercado editorial, listas dos livros recomendados lançados durante o ano e uma seção histórica com datas e resenhas de livros importantes.

Esta edição se reveste de um caráter único e especial, pois é realizado um amplo levantamento e balanço crítico sobre a FC&F brasileira nos últimos dez anos, ou seja, desde a primeira edição em 2004.

Afora as seções tradicionais, temos um artigo de análise sobre as características, virtudes, problemas e perspectivas para a ficção científica, fantasia e horror brasileiros. Também uma seleção das resenhas dos 39 melhores livros da década, e um amplo debate com algumas das principais personalidades dos gêneros fantásticos entre o final do século passado e as primeiras décadas deste.

A seção “Efemérides”, que trata da parte histórica da FC&F no Brasil, consolida suas listagens de datas de publicações e eventos, de 1826 a 1993. Cento e sessenta e oito anos de registro em literatura, histórias em quadrinhos e cinema. Completa esta seção a publicação de todas as 32 resenhas de livros clássicos e tradicionais da FC&F no país publicados nas edições anteriores, e um artigo sobre o histórico Simpósio Internacional de Ficção Científica, realizado no Rio de Janeiro em 1969.

O Anuário tem por meta realizar um registro do estado desses gêneros no país, além de auxiliar tanto os leitores em busca do que há de novo, como os escritores que desejam destrinchar as tendências do mercado. E também a editores e pesquisadores que estão a procura de um conhecimento mais sistematizado e amplo do que está surgindo e das perspectivas para o fantástico no Brasil.

O Anuário Brasileiro de Literatura Fantástica recebeu em 2010 o Prêmio “Melhores do Ano”, na categoria “Melhor Não-Ficção”, concedido pelo site Ficção Científica e Afins, da escritora Ana Cristina Rodrigues.

Repercussões:

“Embora a literatura fantástica enfrente muitos desafios no Brasil, um trabalho árduo de crítica e pesquisa como o do Anuário permite uma base sólida para o desenvolvimento de pesquisas e publicações.”
—Rachel Haywood Ferreira, Iowa State University.

 “As suas carreiras críticas — existentes há anos em várias publicações, e há seis anos no Anuário —, são o balanço global dos gêneros literários que vocês analisam, o mais competente, sério e abrangente, dentro do universo crítico brasileiro.”
—André Carneiro, autor de Confissões do Inexplicável e O Teorema das Letras.

“O Anuário é uma das publicações de crítica de ficção especulativa mais independentes e de maior personalidade no país. Editores, pesquisadores, colecionadores de livros, escritores e fãs devem encontrar uma fonte de consulta, de avaliações e de opiniões críticas inestimável para dar perspectiva ao momento atual.”
—Roberto de Sousa Causo, Terra Magazine.
“Um projeto raro e ambicioso, que apresenta uma perspectiva global e sistematizada a respeito do mercado no Brasil e confere-lhe uma unidade na qual os autores poderão posicionar-se. Além disso, contribui para o crescimento da crítica profissional e do estudo acadêmico, essenciais ao desenvolvimento de qualquer literatura.”
—Luís Filipe Silva, site Efeitos Secundários (Portugal).

Sobre o selo Enciclopédia Galáctica:

Em 2010, a Devir Livraria inaugurou o selo Enciclopédia Galáctica, destinado a obras de não-ficção voltadas para a discussão, análise e registro dos gêneros ficção científica, fantasia e horror na literatura, quadrinhos, jogos, cinema e televisão. O selo busca fomentar a produção crítica a respeito desses gêneros e formas de expressão, em um momento em que cresce muito o interesse pela literatura de ficção científica, fantasia e horror no ambiente acadêmico e literário nacional.

O primeiro livro do selo foi Visão Alienígena: Ensaios sobre Ficção Científica Brasileira, de M. Elizabeth Ginway, brasilianista e professora de língua portuguesa e literatura e cultura brasileira na Universidade da Flórida (em Gainesville). O próximo lançamento de 2013 será o original estudo do Prof. Alfredo Suppia (UFJF), Atmosfera Rarefeita: A Ficção Científica no Cinema Brasileiro.



Devir Livraria: “Líder em ficção científica, fantasia e horror no Brasil”
Rua Teodureto Souto, 624 - Cambuci - São Paulo-SP, CEP 01539-000
Fone: (0__11) 2127- 8787 - horário comercial
Mais informações: marialuzia.devir@gmail.com
Visite o nosso site: http://www.devir.com.br/


quinta-feira, 27 de novembro de 2014

O futuro dos vampiros



 O mito Vampiro nos proporcionou vários textos, filmes, HQs, músicas, ilustrações e todas as artes imagináveis sobre o tema.
A relação da lenda em vários países acabou por trazer diferentes leituras sobre este ser sobrenatural mas ainda é pouco. Muios pesquisadores e arqueólogos procuram se aprofundar na existência do Vampiro.
Em pouco tempo, muitos túmulos foram achados em alguns países que mostram o medo que a população tinha destas criaturas.
As pesquisas não param, para muitos, o vampiro existe mas não se divulga e nem se apresenta em eventos, para outros o vampiros é só uma lenda que é muito explorada e que rende muito dinheiro.
A verdade é que estas criaturas noturnas são ecléticas e podem se encaixar em qualquer tipo de história, desde pequenos poemas até fazer parte da sociedade, pode também serem alienígenas ou virem do fundo do mar, ou de um vulcão, ou de uma ilha deserta, Pode também ser um vírus que altera o DNA, pode ser um monstro grotesco ou ter a forma de um príncipe para conquistar suas vitimas.
O vampiro pode ser Energético, Astral, de Alma e manipulador de energia. Também existe os vampiros super poderosos que podem controlar o tempo como controlar as chuvas, as nuvens e os  relâmpagos.
E em geral estas criaturas também possuem o poder de se transformar em várias criaturas noturnas. Lobos, Morcegos, Ratos e muitos outros animais.
A magia dos vampiros é grande. Um bom vampiro pode se transformar em névoa, pode ficar invisível, pode dominar a mente de suas vitimas e transforma-las em escravos para cuidar de suas coisas de dia enquanto ele dorme.
Centenas de filmes foram produzidos com o tema Vampiros e também Histórias em quadrinhos. Muitos e muitos filmes se destacaram no cinema. A maioria baseados em livros. As Histórias em quadrinhos também fazem muito sucesso. Alguns já viraram filmes também.
No Brasil Os vampiros começaram a aparecer em nossa cultura através das novelas: Um Homem muito especial, Vamp, O Beijo do Vampiro e Os mutantes.
Com o surgimento do RPG Vampiro a máscara na década de 90 o vampiro ficou bem em destaque no Brasil e foi ai que começou a onda dos escritores de vampiros  Livros, Quadrinhos, Curtas e eventos.
Os livros de vampiros não pararam de ser produzidos por aqui desde 2000 e os escritores tem fornecido a cada ano mais histórias sobre o tema.
O futuro é positivo. Escrever sobre vampiros atrai muitos leitores e existem leitores para vampiros de todos os tipos.
Diferente de outras criaturas que precisam estar em uma certa moda para aparecerem o Vampiro se destaca sempre. Por isso até hoje existem novidades sobre eles.
Novas gerações de vampiros estão surgindo. Vampiros do Espaço e os Vampiros entre os humanos são histórias que geralmente são as mais produzidas. É difícil ver hoje, os vampiros poderosos que passam por rituais complicados para ter mais poderes.



O sistema que vivemos agora coberto de censuras e cheio de limites do politicamente correto deixou o vampiro encabulado, fraco, retraído, aprisionado, trancado. Cortaram boa parte do que era um bom vampiro, Dominador, Conquistador (de reinos) , prepotente, Poderoso, Selvagem e assustador.
Mas aos poucos o público quer mais. Futuramente isso vai acontecer. O vampiro poderoso sairá da sua tumba trazendo a sua legião de mortos-vivos para tentar dominar o mundo. Enquanto isso não acontece novos filmes e livros será criados para nosa felicidade muito ainda será lançado pois assunto sobre eles nunca vai faltar.

Vampiros Dominam
Abraços Adriano Siqueira
DRACULA AD 1972


quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Gênesis Proibido - A Tragédia de Adão e Lilith - Escritor Marcelo de Lima Lessa

"Gênesis Proibido - A Tragédia de Adão e Lilith", Escritor Marcelo Lessa:  já se encontra em fase de pré-venda pela internet! O preço promocional de lançamento é R$ 49,90, com o frete de envio já incluso! O livro sairá do "forno" entre os dias 5 e 8 de dezembro de 2014! Reserve já o seu exemplar (com o autógrafo do autor!), deixando uma mensagem na sua caixa de entrada - Marcelo Lessa

PRÉ-VENDA DE CAÇADORES DE DEMÔNIOS - ademir pascale

PRÉ-VENDA DE CAÇADORES DE DEMÔNIOS


O livro "Caçadores de Demônios",2º romance publicado do autor Ademir Pascale pela Editora Draco, está em pré-venda e você poderá escolher as três opções abaixo, sendo que as duas primeiras estão com desconto de 20%:

PagSeguro Você paga só R$ 21,90 (20% de desconto)
Paypal-  Você paga só R$ 21,90 (20% de desconto)
Livraria da Folha  - Você paga R$ 27,90

Serviço:
Título: Caçadores de demônios
Autor: Ademir Pascale
ISBN: 978-85-8243-119-1
Gênero: Terror, aventura, fantasia sombria
Formato: 14 cm x 21 cm
Páginas: 116 PB (1 cor)
Lombada: 1,1 cm
Peso: 0,250 kg

Para saber mais sobre o livro: http://editoradraco.com/2014/11/18/cacadores-de-demonios-ademir-pascale 

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

A importância dos Rituais nas histórias de Vampiros

Imagem: The Satanic Rites of Dracula

A importância dos Rituais nas histórias de Vampiros

Desde o início, os vampiros eram reconhecidos pelos seus rituais.

Existe uma certa exigência dos fãs a respeito disso. Muitos dizem que uma história de vampiros sem um Ritual não é considerada uma boa história.

Seria um pouco ingênuo achar que apenas uma mordida poderia transformar um homem comum em um ser sobrenatural super poderoso e imortal.

Nos livros, Teatro e Cinema, sempre existia alguma forma, alguma maneira de transformar os vampiros no que são através de um ritual.

Os Filmes da Hammer década 60/70 já mostrava muitos rituais para reviver o Conde Drácula e também para garantir a sua vida eterna.




Por isso foram criados os rituais. Isso monstra que existe praticamente uma solicitação de que este poder está sendo entregue a alguém e que para isso tudo deve-se ter um preço.

Os filmes, livros e História em Quadrinhos são carregados de muitos rituais e cada um deles tem o seu jeito de evocar um poder vampírico ou até mesmo reviver os vampiros.

Em The Lost Boys - David mostra o seu poder e depois pede para Michael tomar um gole de sua garrafa. O ritual que se inicia é bem ao estilo dos filmes tradicionais de vampiros.

Os Garotos Perdidos - 1987 - David entrega a garrafa para o Michael tomar e avisa que tem sangue.

Michael acha que David estava testando a sua coragem e ele... entra no Ritual!!


A lenda sobre a Taça de Drácula também é bem conhecida.


Ritual do Drácula. Editora Taika década de 70 - ilustração: Nico Rosso

Está lenda também aparece no novo filme do "Drácula A história nunca contada"


Vampiros são eternos. 

Abraços
Adriano Siqueira

Vampiros no Transatlântico



Por favor, Posso Morder Seu Pescoço Enquanto o Titanic Afunda?
Por Adriano Siqueira


    Eu estou dizendo que é uma das relíquias que estavam no Titanic!

O homem de nome Lúcio dizia desesperado mostrando a foto para o seu amigo Roberto em um restaurante noturno no centro da cidade de São Paulo. Roberto olhava atentamente a foto que foi tirada a pouco tempo em um Picnic de fãs de Steampunk. Ele analisa bem a foto mostrando uma xícara com um simbolo bem parecido com os usados no transatlântico RMS Titanic que naufragou em 1912. Roberto comenta:
  Olha Lúcio. Mesmo que seja uma xícara do Titanic isso não comprova a existência de vampiros nesta cidade. E muito menos que este grupo sejam vampiros. Lembro você que esta peça poderia estar em leilão e alguém pode comprar ou mesmo falsificar.
  Dê uma boa olhada Roberto. Olhe o lenço nos pescoços deles tentando esconder as mordidas dos vampiros.
  Mas... Isso pode ser a moda deles não seja louco você quase matou alguém ontem com esta sua paranoia. Você precisa de um médico.

Sem perceber como, uma mulher puxa uma cadeira e senta ao lado deles. Roberto vê que ela se parece muito com a mulher da foto. Ela sorri e pega a foto e explica:

  Realmente é do Titanic. Bastariam ter perguntado.
  Como... Como você sabe que estávamos aqui? - Lúcio pergunta assustado.
  Não se preocupe. - Diz ela. - Logo você não vai se preocupar com mais nada.

E sorri mostrando os seus caninos pontiagudos.
Roberto tenta se acalmar. Tira um lenço do seu bolso e passa em sua testa. Olha para os dois na mesa e começa a perguntar tentando achar respostas desta loucura.
  Então você é uma vampira e viveu na época em que o Titanic afundo.
  Não... Eu usei o Titanic para chegar até aqui.
  É uma história interessante.
Lúcio queria sair da mesa mas a vampira segurou a sua mão e com um olhar Lúcio se sentou e ficou atento as respostas da mulher.
  Meu nome é Catherine Dale sou da Inglaterra e peguei o Titanic para ir para Nova York.
Roberto olha para Lúcio e ve que ele está tremendo um pouco.
  Você está bem Lucio?
  Não se preocupe com ele.- Dizia Catherine... continuando...
  Eu era a última vampira e estava sendo perseguida por caçadores na Inglaterra. Eu tinha que sair de lá. O Titanic era uma ótima maneira de sair. Ninguém se importaria comigo e eu sabia que o Transatlântico era rápido e bastante requintado.
  Mas algo deu errado. Não é? O iceberg...
  Não! Não tão rápido. Eu estava me alimentando durante a viagem. Pegava alguns homens e sugava o sangue deles. Escondia seus corpos na quarta chaminé que era usada apenas para ventilação. Em pouco tempo eu havia sugado o sangue de vinte passageiros.
  Parece que você iria ter mesmo uma boa viagem. E o que aconteceu depois.
  Alguns caçadores estavam no navio. Eles sabiam que eu estava lá. Queriam evitar que eu fosse para Nova York.
  Evitar... A qualquer custo?
  Sim... Eles estavam preparados para me matar. Mesmo que isso levasse o navio ao naufrágio.
  Então eram terroristas?
  Eram caçadores. Mas tinham ordens de fazer de tudo para evitar minha chegada a Nova York. Eu fui esperta. Haviam 10 caçadores e matei todos que consegui. só ficaram três.
  Se ficaram três, então não foi tão esperta.
  Sabe como é. Eu estava tentando me proteger, mais do que atacar.
  E o Iceberg? E o desastre?
   Isso foi culpa dos caçadores. Quando não me acharam mais resolveram que afundar o transatlântico era a única maneira de me deter. Contavam com a água gelada para me matar. Não importava quantos estavam a bordo. Tinha que cumprir a sua missão. Os três foram até a cabine. E aceleraram o Titanic mesmo sabendo quelá existia alguns icebergs. Quando senti que o Titanic havia raspado em um iceberg eu tentei pegar um barco e sair de lá mas os caçadores me esperavam.
  Você lutou com eles.
  Sim. Joguei dois ao mar.
  Então só ficou um?
  Ele estava mais preocupado em salvar a vida daquelas pessoas do que me matar.
  Mas não era esse o plano?
  Olha... havia muita gente naquele transatlântico. Crianças, mulheres e idosos desesperados. Qualquer um que tivesse vontade ajudaria como pudesse. Eles não tinham culpa. O caçador ajudou e eu também. Sempre. Claro. Tentando me proteger e pensando em uma maneira de sair de lá.
  Você poderia ter voado para sair. Ou vampiros não voam?
  Este era o problema. Os vampiros que voavam não existiam mais. Eu era a última e nunca consegui voar ou planar ou mesmo me transformar em um morcego. No máximo eu apenas saltava muito alto. O oceano gelado poderia me matar.
  Continue...
  David, este era o nome do caçador. Ele se arrependeu. Não sabia o que fazer e me pedia ajuda para salvar os tripulantes. Tinha mais de dois mil. E mesmo eu... nem sabia como me salvar.
  E no desespero o que disse para ele?
  Eu abracei David e disse em seu ouvido... Por favor, posso morder seu pescoço enquanto o Titanic afunda?
  Ele olhou para mim e logo depois mostrou seu pescoço.
  Fazia tempo que você não transformava alguém em vampiro.
  Eu queria sobreviver sem concorrentes... Isso chamaria a atenção. Por isso fiquei muito tempo sem transformar ninguém. Naquela situação pensei diferente. Mordi pois precisava de ajuda para salvar os outros e tudo mais. Só que algo aconteceu.
  Como? O que aconteceu?
  A transformação veio rápida demais. Os olhos e seus dentes nasceram de uma forma muito rápida. E tinha algo que me deixou espantada.
  Algo como?
  Ele Voava.
  O que? Está me dizendo que você não podia voar mas quem você transformava podia?
  Isso mesmo . Foi algo que eu não sabia pois nunca deixei os que mordi vivos ou transformados em vampiros. Sempre os mordia até a morte até a ultima gota de sangue.
  Acredito que você tinha os sangue dos antigos e acabou passando isso quando o transformou.
  Eu sempre fui vampira. Nasci com pais vampiros nunca transformei humanos em vampiros e naquele momento surgiu a oportunidade de salvar os naufragados do Titanic. David me levou no colo para voar sobre os que estavam no oceano. As mãos deles direcionados para nós pedindo para ajudá-los. Alguns já haviam morrido. Outros no barco não nos viam... havia um tipo de miragem causado pela água gelada que fazia aparecer um tipo de neblina. Foi quando eu disse para eles... Se eles queriam viver. Mas como vampiros. Como seres que sugariam sangue pela eternidade. Poucos se recusaram...
 Então você criou uma legião de vampiros.
 Eu não tive escolha. Eu era a última vampira. Precisava de um legado uma legião para que me protegessem. O que você faria no meu lugar?
 Bom isso não vem ao caso mas certamente eu talvez fizesse o mesmo.
  Transformei 312 humanos em vampiros. Como a transformação era demorada por causa do oceano congelante não consegui salvar os outros a tempo.
 E todos vocês foram para Nova York?
 Não... fomos para o navio mais próximo. O Californian. Hipnotizamos os tripulantes para não lembrarem que levaram a gente e fizemos o mesmo com outros navios até chegarmos em Nova York.
 Então, depois você e seus vampiros vieram para o Brasil.
 Só eu e o David estamos no Brasil. O resto estão espalhados pelo mundo.
 Por que o Lúcio está assim? Vai matá-lo?
 Lúcio é um homem perigoso para nós. Não posso deixar ele ficar contando histórias para todos que conhece.
 Não pode simplesmente fazer esquecer?
 Não! É uma obsessão dele. Sinto muito. Tenho que levá-lo. Peço que fiquei na mesa. Não faça nada ou posso ser obrigada a fazer isso com você também.
Roberto olhou a foto. Enquanto ela partia com Lúcio. Ele sabia que nunca mais veria nenhum dos dois. Quando ele olhou para a cadeira dela viu a xícara que era do Titanic.



Abraços 
Adriano Siqueira

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Meu Castelo



Se todos pudessem ter o seu próprio castelo
sem precisar de viver do auxilio de algum vampiro-irmão,
viveríamos com mais vontade pois aproveitaríamos
cada instante, cada momento em nossa procura em melhorar o local
para nossos amigos e irmãos.

Temos sempre que lutar pela nossa própria independência,
ficar vivendo sempre as custas de outros, teremos um sentimento de dependência e de auxilio.
Isso não é para vampiros.
Devemos abraçar os irmãos vampiros que precisam de ajuda mas eles mesmo sabem que isso é temporário.
Cada um tem o seu mundo e o seu próprio espaço.
Vamos lutar e ser livres, independentes pois é assim que os vampiros são.
Matilha é para lobos.

Dri, o Lord

 Somos donos do nosso próprio castelo. 


segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Blog chega a 700 postagens

Olá pessoal,

Quando criei este blog em 2007 imaginei que seria apenas de contos como era o site que fiz no Terra em 2000 que se chamava Contos de Vampiros.Mas eu queria acrescentar mais e acabei também incluindo algumas divulgações de livros, fotos da minha coleção, fotos de eventos, entrevistas e matérias bem interessantes. 



Imagem do meu primeiro site de Contos de Vampiros. :-)

Hoje o blog chegou a 700 postagens e isso me deixou muito orgulhoso e compartilho esta felicidade com vocês.


Muito obrigado pelas visitas por aqui e por apreciarem. 
Abraços
Adriano Siqueira



O primeiro passo - histórias de vampiros



O primeiro passo - história de vampiros
Um Crossover dos personagens Angelo Donatti / Alami / Andário

O primeiro 
   Vamos Alami. O avião já vai pousar.
Andário, o vampiro, falava com a sua mulher, a fada Alami, na porta do banheiro do avião. Ela  passou mal durante toda a viagem. Chegou a pensar que ela estava perdendo o gosto de voar.
Ele esperou por alguns minutos até que finalmente a porta abriu. Para os humanos, Alami tem aproximadamente 22 anos, mas na verdade ela tem muito mais do que isso. Ela é morena, 1,59 de altura, seus cabelos são escuros e encaracolados. Seus olhos são castanhos claros e usava uma blusa escura por cima de uma camiseta com folhas estampadas e uma saia que ia até o joelho. No seus pulsos ela tinha várias pulseiras de miçangas que ela mesmo fazia na cidade Bataguassu, em Mato Grosso do Sul, onde eles estavam antes de pegar o avião.
   Andário! Eu não gosto de avião. Esta pressão toda me fez passar mal por um bom tempo. Preciso liberar minhas asas, ouvir um blues e tomar uma vodca.
   Nossa amor. Você está mesmo de mal humor.
Alami sorri e abraça Andário ela olha nos seus olhos e diz.
Seu amigo poderia ter ido para Bataguassu né? Como é mesmo o nome dele?
   Angelo Donatti, ele é caçador de vampiros.
   Um caçador? Andário! Se ele caça vampiros então você está facilitando muito as coisas indo ao seu encontro. Você é Delivery? Atende caçadores a domicílio?
   Calma Alami, Não é bem assim. Ele caça vampiros que olham os humanos como gado e matam sem respeitar as leis dos humanos. Isso é crime e assassinato. Como não existe uma polícia para prender estes vampiros... Então existem caçadores como ele que exterminam estes vampiros.
   Como você o conheceu? Você nunca veio para São Paulo.
Andário senta junto com Alami no Avião e enquanto eles prendem o cinto para pousar, explica com um sorriso.
   A internet não é só para ver vídeos de Blues Alami. Além disso, agora ele paga a nossa internet e também os computadores e muitos jogos de videogames que ele manda todo o mês.
Alami olha para a janela e vê a cidade de São Paulo, segura a mão do Andário e sorri e completa.
   Espero que ele nos dê muitas lembranças.
   Lembranças boas espero eu querida Alami.
   Vamos apostar uma corrida voando entre os prédios?
   Alami?
Andário ri e responde.
   Estamos aqui para fazer um favor.
Alami olha para Andário. Foram os cinco anos mais felizes que ela teve ao lado dele. Ela também sabia que só faltava mais quatro anos para tudo acabar. As fadas só vivem 9 anos depois que crescem. Elas ficam do tamanho dos humanos, Seus poderes diminuem. Mas Andário não parecia se preocupar muito. Ele procurava apenas dar o melhor para ela. Andário era um ser solitário. Não era bem um vampiro como os outros lendários. Nasceu em uma aldeia. Seu nascimento foi como um humano normal, mas era muito anêmico e o feitceiro o leou para um lugar cheio de morcegos e o deixou lá por um dia. Era uma magia antiga. Os morcegos cuidariam dele e realmente ficou melhor. Porém, quando o feiticeiro foi buscá-lo sua boca estava cheio de sangue e nasceram asas de morcegos em suas costas. O feiticeiro sabia que ele agora era uma criatura dos morcegos e que se alimentava apenas de sangue. Andário ajudou a tribo até que na era moderna foi morar em Bataguassu e foi nas florestas por ali que conheceu a fada Alami.
Andário é filho de índio e ele não é muito alto, tem 1.60 de altura. Moreno e de cabelos curtos e lisos. Tem dez quilos a mais e adora a internet. Foi lá que ele conheceu muitos amigos que ajudam tanto ele como a Alami, afinal, não é todo mundo que conhece um vampiro e uma fada para conversar. Embora eles gostem de ser bem discretos pois sabem que muitos poderiam caçá-los.
Quando chegaram no aeroporto de congonhas já era noite. Viram um homem segurando uma placa com os nomes deles. Alami ficou impressionada com a beleza do rapaz. Alto corpo atletico, aparentando uns 30 anos, pele muito clara. Cabelo preto grande, bem liso e tinha um cavanhaque bem cortado. Seus olhos eram muito escuros e usava um terno azul com uma camisa branca mas sem gravata. O primeiro comentário que ela fez foi...
   Roupas demais.
   Desculpe?
   Desculpo só desta vez.
   Alami!?
   Foi inevitável Andário, Está calor aqui.
Alami fica se abanando com as duas mãos e sorri para o rapaz, mas logo Andário toma conta da conversa.
   Não está não Alami. Este senhor deve nos levar até o Angelo Donatti. É isso?
   Isso mesmo! Devo levá-los até o Angelo. Podem me seguir até o carro por favor.
   Nem precisava pedir.
Alami sorria muito e recebeu uma pequena cotovelada do Andário que disse bem seco.
   Vamos amor?
   Andário você está com ciumes deste homem bem vestido com o cavalhaque bem feito e aqueles olhos...
   Sim! Sim né. Já basta. Vamos logo que estamos atrasados.
O carro era um Geiger Ford F650 um carro bem impressionante pelo seu tamanho. Era uma caminhonete de seis rodas com quatro portas. Assim que Alami e o Andário entram no carro as portas e janelas se fecham e o rapaz sorri e foge do local. Os dois se olham e tentam abrir as portas de todas as maneiras enquanto Andário comenta.
   E você estava gostando dele? Aposto que tem uma bomba debaixo do carro.
   O desgraçado nos enganou. Sabia que ele era perfeito demais. Vou arrastar ele pelo asfalto.
   Se a gente sair inteiro dessa você quer dizer.
   Não dá para chegar na parte da frente! Tem um vidro bem grosso. Que Droga!
   Seu “gato” vai matar a gente!
   Seus comentários não ajuda nada!
   Irritada, Alami golpeia com os pés a porta várias vezes.
   Parece que o carro é a prova de fadas!
   Então veja se é a prova de vampiros.
Andário rasga a camisa e as asas aparecem. Ele as usa para golpear o vidro do seu lado, várias vezes, até que o estilhaça.
—Vamos Alami!
   Não vou rasgar a minha blusa e nem minha camisa!
Alami cruza os braços e fica olhando para a outra janela do carro emburrada.
   Não fica com birra agora! Essa porcaria vai explodir.
   Você não sabe se tem mesmo uma bomba.
De repente um homem com idade aproximada de 40 anos aparece do lado da janela da Alami e responde.
   Tem sim! Está debaixo do carro e o pelo relogio faltam apenas 30 segundos.
   Que é você?
Pergunta Andário olhando para a emburrada da Alami.
   Angelo Donatti
   Recepciona todo mundo no aeroporto assim?
Pergunta Alami.
   Eu não! Não sabia que eram seguidos.
   Olha o problema é que a bomba não pode explodir. Não aqui no aeroporto. Tem muita gente.
   O que? Este carro é pesado para tirá-lo daqui voando. Pode esquecer. Só faltam quinze segundos.
   Vocês homens são moles demais.
   Alami rasga a roupa ficando só de sutiã. Ela sai do carro, joga a roupa rasgada para o Andário e se pronuncia enquanto levanta o carro.
   Vai me dar roupas novas viu Andário. Vou até ali e já volto.
Andário e Angelo avisam a muitidão para se esconderem e com apenas 7 segundos que restavam, Alami consegue levar o carro para 200 pés de altura, solta o carro e se afasta voando o mais rápido que pode. Com a explosão, as ondas quebram alguns vidros das portas e janelas do aeroporto.
Angelo pede para Andário voar e ver se tem feridos. Depois de verificar tudo eles foram para a sua casa.
Na sala do Angelo estavam Alami, Andário e o Lord Devon.
— Eu gostaria de apresentar para vocês o Lord Devon. Ele é um vampiro. Foi mordido recentemente.
Andário fica intrigado com o vampiro e questiona.
— Ele parece mais um nerd que gosta de sangue. Não falta mais nada mesmo. Mas me diz uma coisa Angelo. O que você quer da gente? Por que você queria a gente aqui?
— Preciso que vocês levem o Lord Devon com vocês. Para morar em Bataguassu. Treiná-lo para que ele fique tão bom quanto o Caio.
   Nem pensar. O Andário já dá muito trabalho.
Respondeu Alami que estava olhando o aparelho de som do Angelo. Ligou e começou a dançar pela sala. Angelo e Andário continuaram conversando.
   Bom Angelo. Não somos treinadores de vampiros e nem somos um albergue para eles. Além disso... Os moradores da região poderiam fazer muitas perguntas. Não acho uma boa ideia. Sei que você está procurando alguém para substituir o Caio que morreu recentemente. Você me disse por e-mail. Caio era um anjo que tinha um corpo humano, só que a alma do humano foi arrancada e o anjo foi destruido.
   A Alma dele foi arrancada por ele ter fugido das leis dos anjos para me salvar.
   Mas, olha, sinceramente um vampiro como ajudante de um caçador de vampiros não ia ficar bem para a sua fama.
— Um vampiro ao meu lado ajudaria muito a prever os passos dos vampiros além de que eu preciso que ele se infiltre em alguns lugares onde os vampiros estão. Confio no Lord Devon. Mas ele precisa de treinamento e de como poder lutar com a fome do sangue. Andário. A sua aldeia fez um composto que substitui o sangue que os vampiros precisam.
— Não é bem sangue. São plantas com atributos que enganam a fome dos vampiros. Mesmo assim é necessário o sangue de alguém.
Sim! Eu sei. É misturado com o sangue da Fada.
— Não diretamente dela. Depois de retirado do seu corpo, o sangue que fica junto com as plantas por algum tempo. Pois o sangue puro dela é um veneno para os vampiros.
   Angelo leva o andário mais distante de Alami e comenta.
   Ela está morrendo.
   Ainda falta mais alguns anos. Tenho procurado uma forma de evitar isso.
   A lei das fadas é assim Acho que não tem como.
   Sempre tem um jeito.
   Caio dizia o mesmo e agora está morto.
   Ela não é o Caio!
Andário soca a porta que quebra em seguida. Todos olham para ele. Alami olha sério para Andário. Abre a janela e olha para as estrelas. Antes de sair ela diz.
   Vou ver se está noite lá fora.
Angelo segura o braço do Andário. Impedindo que ele saia atras dela. Olha para o Angelo e diz.
   Ela sabe que estou falando da morte dela.
   Vocês se amam. Queria eu ter um amor assim. Mesmo que durasse apenas alguns segundos eu me lembraria para sempre.
   Andário coloca a mão no ombro do Angelo e diz.
   Você tem seu caminho e eu tenho o meu. Sabe que sem ela eu não viveria. Além do seu amor. Ela me alimenta.
   Mas se o sangue da fada acabar? Você tomaria sangue humano ou de vampiro?
   Posso descobrir agora Angelo. Se não parar de falar sobre o assunto.
   Pelo jeito a conversa sobre Alami o deixou nervoso. O que posso dizer é que se vocês treinarem o Lord Devon Todas as despesas serão pagas por mim. Você não vai ter que se preocupar com isso. Só quero um parceiro que saiba bem como é ser um vampiro. Pense nisso. Fiquem aqui está noite. O avião de vocês só sai amanhã de noite. Tenho uma surpresa para vocês no avião. Traga Alami. Vamos todos deitar. Falta poucas horas para amanhecer.
   Sim. Foi mesmo um dia difícil. Sabe Angelo. Eu imaginava a sua casa bem mais sinistra por ser um caçador. Imaginava algo como algumas cabeças de vampiros penduradas, livros antigos, Rituais de proteção, etc. Mas parece tão normal. Tem até passarinhos engaiolados no seu quintal.
   É que você não conhece ainda a minha batcaverna.
Angelo pega um controle remoto e aponta para a estante de livros.
   Eu amo livros sabia? Eu não seria nada sem eles.
A estante começa a se mexer até que aparece uma porta. Angelo olha para o Andário e pergunta.
   Quer dar uma expiada.
    Melhor eu não arriscar. Vai que você me quer como cobaia.
Andário sobe as escadas e quando chega no quarto a Alami estava na cama com os olhos fechados.
Ele olha para ela. Acaricia seus cabelos e diz algumas palavras.
   Tudo que puder fazer por você Alami. Eu farei mesmo que custe a minha vida.
Alami abre os olhos, sorri e responde.
   Já que vai fazer tudo. Eu quero uma massagem.
   Golpe baixo fingir que está dormindo Alami.
   Falando em golpe baixo.
   Alami coloca as mãos por baixo dos lençois e passa nas calças do Andário.
   Preciso muito disso.
   Andário vê que ela estava nua.
   Alami prometa não gritar tão alto, não estamos em casa.
   Olha quem fala.
Ela beija os lábios do vampiro e ele toca no seu rosto e desce as mãos até os seus seios.
A fada fica impaciente e começa a rasgar a calça do vampiro.
Ela o agarra violentamente. E os dois começam a flutuar pelo quarto. Encostando no teto e na parede. Seus gestos eróticos ultrapassam a imaginaçao dos humanos. Alami empurra Andário em direção a janela que quebra em pedaços. Eles ficam flutuando no quintal. Praticam muitas posições misturadas com tapas e arranhadas. Andário grita muito alto. Até que Alami começa a gritar junto e logo em seguida eles ficam em silêncio. Andário pela a Alami no colo e a leva para dentro do quarto novamente e a coloca na cama. Assim que ele deita ela coloca aa mão em seu peito e eles finalmente dormem.

    





Banner deste blog

Banner deste blog
Contos de Vampiros e Terror

  ©CONTOS DE VAMPIROS - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo