domingo, 8 de março de 2015

A Vampira e o Desespero


A Vampira e o Desespero
Neculai terá que transformar uma humana em vampira e
para isso, vai ter que enfrentar o mundo


─ Alô Dr. Elias. Como Ela está?
─ Olá investigado Cesar. Infelizmente as notícias não são boas. A paciente Karina está passando por situações diversas. Tivemos que isolá-la. Nunca em minha vida vi um paciente assim.
─ O que disse a psicanalista?
─ Que ela pode morrer. Acontece que algumas pessoas estão dizendo que o contato com o vampiro assassino Neculai fez com que ela ficasse assim.
─ Não era melhor sedá-la Dr.
─ É esse o problema. Ela está sedada. Só que mesmo assim ela levantou e pegou todos os telefones do corredor e começou a chamar pelo Neculai. Ela matou um paciente para poder usar o seu celular. Nós a isolamos e a amarramos. Mesmo assim objetos começaram a flutuar na sala e,... Parece o filme O Exorcista.
─ Eu liguei para um outro amigo. Ele conhece um pouco sobre poderes ocultos, está interessado em ouvir Dr.?
─ Sim Cesar! Qualquer ajuda é válida neste momento.
─ Bom. Meu amigo disse que aquela história sobre usarmos só uma pequena parte do nosso cérebro é real. O que parece é que o contato com o vampiro Neculai fez com que ele ligasse todo o cérebro da garota. Digamos que vivemos desde o início de nossa vida com uma bateria que só funciona vinte porcento, de repente você é ligado numa tomada e sua bateria chega a cem porcento acendendo todas as lâmpadas do seu cérebro.
─ Mas se isso for verdade Cesar, ela vai enlouquecer. O cérebro deve estar passando informações que nem mesmo a paciente compreenda. O seu corpo não vai aguentar toda a energia que o cérebro está precisando.
─ Este meu amigo disse também que os humanos não aguentariam tamanha carga, por isso ela deveria continuar o processo e se transformar em uma vampira.
─ Qualquer coisa para ela sair deste hospital. Existe um tumulto aqui. Tem repórteres por todo o lado.
─ Eu sinto por isso Dr. As notícias não são boas. Entenda. Você está com uma paciente que vale muito para o assassino Neculai. Ela é a nossa esperança de finalmente encurralar este vampiro.
─ Aqui não Cesar. Ela já matou um paciente. Não vou arriscar que o hospital seja uma arapuca para um vampiro assassino.
─ Dr. Eu sou apenas um peão no meio disso tudo. o Sr. pode tirar os pacientes deste andar para não correr risco. É só o que posso fazer.
─ Cesar! Não posso fazer isso! Não é tão simples! Tem equipamentos neste andar que são impossíveis de transportar e precisamos deles para os pacientes! Vocês não podem fazer isso! Alô? Alô? Malditos.

...
─ Alô Deise!
─ Neculai. Estou no hospital. A Karina está no andar de cima. O andar está isolado. Vou subir, estou com uma roupa de médica. isso ajuda a enganar um pouco.
─ Você sempre prestativa.
─ Sempre meu Neculai. Do que mais precisa?
─ Quero que jogue o celular ligado por debaixo da porta do quarto que a Karina está. Logo em seguida Fique no carro no local combinado e espere eu ligar. Estou com o número do seu outro celular que está no carro.
─ Tudo bem! Já estou perto... vou jogar agora... Ah. desculpe senhor, meu celular caio e oh. não eu, sem querer bati com a ponta do é e ele entrou no quarto. Posso entrar para pegá-lo?
─ Sinto muito! Ninguém Entra.
─ Mas isso é um absurdo. É meu celular!
─ Por favor moça. Você deve deixar este andar. Está isolado é perigoso. Por favor!
─ Está bem! Mas isso não fica assim.
─ Srta. Deise Day?
─ Sim você é...
─ Investigador Elias. Por favor me acompanhe.
─ Tudo bem mas eu não tenho muito tempo.
─ Vamos sair do prédio. Não tente nada. Estou armado.
─ Imagino que este caso seja importante mesmo para você.
─ Srta. Deise. Neculai foi longe demais. Todos querem a cabeça dele. Ele virou um assunto de segurança Nacional.
─ Para onde vai me levar?
─ Sabia que já pensaram em desligar todas as operadoras de celular só para destruí-lo?
─ Isso não seria possível Sr. Elias. Vivemos em um país muito burocrata. O país perderia muito dinheiro.
─ Srta. Deise, já estamos do lado de fora do hospital.  Este é o seu carro não é mesmo.
─ Sim mas.
─ Você está livre. Mande um recado para o Neculai. Dá próxima vez eu vou pegá-lo e prendê-lo.
─ Darei o recado.
─ E também agradeça por ele devolver a visão de minha filha Karen.
─ Então... está bem.

...

─ Alô Deise! Já estou descendo.
─ Neculai! Estou retocando a maquiagem até agora. Suei muito! Quase fui presa.
─ Vejo que conheceu o Investigador Elias. É um dos meus contatos.
─ Você sempre está um passo a frente de todos querido. Mas não estou vendo você?
─ Olhe para cima.
─ Uau! Você voa! Como um pássaro!
─ Um morcego!
─ Você está com a Karina no colo!
─ Ela não está nada bem. Conversei com o seu corpo, agora está dormindo, mas não por muito tempo. Vou deixá-la aqui no banco de trás. Estou fraco demais para levá-la até em casa. Providencie os preparativos para o ritual. Ela deve ser transformada o mais rápido possível.
─ Eu a levo se prometer me levar para voar também! Só nos dois. Eu tocando seu rosto e seus lábios. Perto da lua...
─ Preciso voltar para o celular. Devo uma visita para algumas pessoas. Preciso de mais sangue desespero e energias para o Ritual.

─ Estaremos esperando meu adorado Neculai.

...

─ Alô filha. Agora não posso falar! Te ligo Depois.
─ Sou o Neculai usando o celular da sua filha Fernanda! Tem 15 segundos para se despedir dela Daniel.
─ Neculai! Solte a minha filha! Ela é inocente!
─ Ninguém da sua família é inocente caçador! Pensa que não sei que está para acabar com uma vampira?
─ Se matar minha filha eu mato a vampira que esta aqui agora mesmo!
─ Pai! Pai! me ajuda ele vai me matar!
─ Não entra em pânico filha. N-não fica desesperada. Eu vou salvar você! vai ficar tudo bem! Neculai! Eu solto a vampira! Não faça nada com minha filha desgraçado!
─ Já disse adeus para ela!
─ Não! Não faça isso! Mas o que... Como chegou aqui tão rápido.. N-naaa...
─ Que pena caçador. Eu não pude resistir e senti que seu desespero estava no ponto. Só que, desta vez eu mordi você para doer mesmo! Onde já se viu aprisionar uma vampira? Não se preocupe com sua filha ela está bem viva. Eu imitei a voz dela... Você foi útil. Me alimentei bem do seu sangue. Agora vamos libertar a vampira que está no seu cativeiro.
─ Quem chamou você aqui?
─ Que modos de tratar o seu salvador!
─ Vai se ferrar Neculai!
─ Já sabe meu nome? Eu não sei o seu.
─ Lúmina! Dá para me soltar? Isso aqui fede!
─ Está amarrada com o cipó do mesmo tipo de árvore que produzem estacas de madeira. E ele ainda banhou o cipó com óleo de alho. Deve doer. Bem... Como eu acabei de carregar as energias eu posso desamarrá-la.
─ Não venha bancar o vampiro boa praça.
─ Nossa que linguajar mais dos anos 60 só estou ajudando.
─ Ha Ha! Você não faz nada de graça Neculai! Assassino, Maldito, Louco, Demente! É só uma questão de tempo para você ser morto!
─ É... minha popularidade está em alta. Seus elogios mostram que os vampiros também querem minha cabeça. Mas realmente preciso de sua ajuda.
─ Sabia! Eu falei! Tinha coisa aí! Não! a resposta é Não!
─ É uma humana. Você adora humanos. Eu fiz algo errado. Muito errado.
─ Isso você faz sempre. Você vai acabar com a humanidade! Eu vou ser a primeira a rir quando você morrer!
─ Eu ia transformar a Karina em vampira. Mas quando abrir a sua mente e acendi todo o seu cérebro arrombaram a casa e tive que fugir.
─ Você ligou todo o cérebro de um ser humano? Assim, do nada? Não a mordeu?
─ Não deu tempo. Ela foi internada mas consegui pegá-la de volta. Agora está em casa.
─ Você enlouqueceu? Acha que ela vai entender as informações que o cérebro está passando? Ela já era Neculai. Ela vai morrer. Quanto mais tempo ela for humana mais perto da morte ela estará.
─ Eu quero ela. Foi uma promessa de ritual.
─ E quem disse que se ela virar vampira e será normal? Ela pode ficar louca! Uma vampira louca no mundo? Já chega você Neculai!
─ Eu vou cuidar dela.
─ Se os outros vampiros souberem disso estarei condenada. Mas para que você me quer afinal?
─ Encontre-me neste endereço. Em uma hora. Vou mostrar tudo.

...

─ Olá Deise.
─ Entre lúmina está convidada. conheço bem as leis dos vampiros tradicionais.
─ Neculai também deveria conhecer.
─ Neculai vem pelo celular. Quando alguém atende automaticamente é considerado que o convite foi aceito. Mas isso não funciona com vampiros tradicionais.
─ Onde ele está?
─ Na sala. Karina está na mesa. O ritual deve ser completado com urgência ou...
─ Neculai me contou. Agora só mais uma coisa Deise. Não tente fazer amizade comigo entendeu? Você está a um passo para morrer. Quem ajuda o Neculai vai ter o mesmo destino dele.
─ Já terminou o discurso Lúmina?
─ Me conta logo o motivo de me querer aqui. Quero ir embora deste lugar o mais rápido possível.
─ O tempo foi a razão. Este ritual era para ser completado em menos de uma hora. Já passam de um dia. Seu corpo está cheio de antibióticos. Não posso morde-la.
─ Sei! Então ela vai morrer. Que pena! Mais uma morte nas suas mãos.
─ Você é o filtro.
─ Você está louco? Insano! Maluco! Essa prática não é mais usada! os humanos não são mais como antes. E vampiros também não! Muita coisa mudou Neculai.
─ Acha que eu não sei disso? Olha para mim? Acha que sou como vocês? As regras mudaram para mim também. É a única solução!
─ Eu me lembro pouco sobre isso. Alguns livros comentam sobre este ritual com o filtro. Mas você é um vampiro diferente. Energia. sangue e desespero. Pode prejudicar ela e eu também. Não quero arriscar.

─ Seu corpo de vampiro vai aguentar bem. Você precisa morder a Karina. Eu vou morder você ao mesmo tempo para pegar o seu sangue e o dela. Logo em seguida você deve me morder e sugar boa parte do meu sangue. Com os nossos sangues misturados. você cortará a sua mão junto comigo e faremos ela tomar nosso sangue. Com isso, a energia do sangue e desespero que passarei, colocará o seu cérebro em ordem e a sua transformação de vampira começará.
─ Parece simples! Nossa que fácil. Não adianta sorrir para mim Neculai! Estou sendo cúmplice deste seu plano absurdo!
─ Devemos começar.
─ Deise comece agora também!
─ O que? Para tudo! Como assim Deise? o que ela está fazendo com uma câmera?
─ Lúmina. Meus fãs querem ver este ritual. Acho uma boa ideia filmar tudo.
─ Ah. Tudo bem! Nossa Deise a lente da câmera está suja deixa eu limpar. Oh. caiu no chão. Quebrou? Deixa eu chutar para ver se conserta. Ah. não tem jeito Neculai quebrou mesmo? Não fica chateado não tá?
─ Lá se foi uma Câmera.
─ Seu vampiro maluco! Acha que os vampiros também não vão ver? Quer me colocar como sua parceira? Você é Senil!
─ Tudo bem vamos logo com isso. Lúmina morde a Karina. Deise cordene tudo. lembre-se que seão apenas 20 segundos cada ação.
─ Meu querido você sempre está bem sincronizado. Meu orgulho. Meu vampiro.
─ Neculai quando você morrer, Eu vou matar a Deise! E não sorria!
─ Tudo certo Deise vamos começar.
─ Lúmina começou a morder a Karina. Você deve morder a Lúmina agora Neculai. Vinte segundos. já basta. Agora devem cortar suas mãos. Fiquem um do lado esquerdo e outro do lado direito. Agora segurem suas mãos bem perto da boca da Karina. Deixe o sangue entrar na boca da Karina.
─ Segurem a Karina ela está tendo convulsões!
─ Todo o sangue está dentro dela.
─ Karina parou de se contorcer. Está com os olhos aberto.
─ E agora?
─ Vamos esperar.
─ Esperem vocês! Eu não fico mais aqui um minuto.
─ Acho que já pode ir Lúmina.
─ Olha aqui Neculai! Nada disso deve ser comentado. Se alguém perguntar eu vou negar entendeu?
─ Pode ir Lúmina. Tem minha palavra.
─ "Palavra do Neculai" Mas que honra! Vai pro inferno! E você Deise. Se o Neculai morrer... Desapareça. Eu vou caçá-la e sugar até a última gota do seu sangue.
─ Agora que ela já foi Deise. Fique de olho na Karina. Preciso partir.
─ Tenho medo Neculai. Ela pode acordar insana. Querer meu sangue.
─ Sangue? Alguém disse a palavra mágica! Eu quero! Cadê?
─ Parece que ela já acordou. Lembra-se de mim Karina?
─ Claro! Você é o meu marido! Estávamos curtindo nossa lua de mel e de repente apareceu uma vampira e acabou com tudo!
─ Bem. Não foi exatamente assim.
─ Não importa! Agora você está aqui e vamos continuar nossa lua de mel.
─ Karina você vai morar aqui. Junto com a Deise. Se tocar nela seus dias de vampira acabarão entendeu?
─ Hum... Está bem! Vou me comportar.
─ Você pode sair e conseguir seu sangue mas vai ter que levar este celular. Ele tem GPS nunca desligue entendeu? E se precisar de mim estarei neste número.
─ Neculai!
─ Deise! o que foi?
─ Você vai deixar ela sair sem mais nem menos? Ela pode matar alguém que pode ser útil ou encontrar um caçador.
─ Não existe forma melhor da Karina aprender a se proteger Deise. Além disso, a liberdade tem um preço alto. Ela vai saber que, se abusar, perderá seus direitos.
─ Neculai querido! Vem ver que linda a lua está. Vamos curtir nossa lua de mel!
─ Não me olhe assim Deise. Ela ainda está se recuperando.




Por: Adriano Siqueira





Postar um comentário

Banner deste blog

Banner deste blog
Contos de Vampiros e Terror

  ©CONTOS DE VAMPIROS - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo