segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Paixão pelo Medo - Parte 3



Paixão pelo Medo - Parte 3


A Avenida Brigadeiro Faria Lima estava muito movimentada. No shopping Iguatemi a policia estava impressionada com a quantidade de mortos que estavam na frente do shopping. Alguns homens mortos tinham armas e estacas para matar vampiros. Bem perto dali havia um prédio onde era o escritório de um homem muito conhecido. Senhor D.Lasco. Um milionário que comandava muitas empresas de São Paulo. Um homem entra em seu escritório e coloca duas fotos na sua mesa.
— São estes dois Sr. D.Lasco. Eles são os candidatos perfeitos.
Enquanto ele analisa as fotos ele pergunta para o seu empregado.
— Alguma novidade sobre as mortes do shopping?
— Sua filha Ariane está sendo caçada por toda a parte. Na mesma noite atacaram um prédio na Vila Macote e o shopping Iguatemi. Os locais são distantes mas era para ela ter ido lá. Felizmente chegamos antes e liquidamos os caçadores. De alguma forma alguém soube da agenda dela.
— Não quero que ela se meta com os humanos. Jaime. Você precisa cuidar disso. Deixe ela longe dos humanos. Isso está chamando a atenção dos caçadores. Até lá. Cancele toda a agenda dela. Essas fotos. São de quem?
— Farei isso Senhor. As fotos são da Viviam e do Edson. Eles são irmãos. Odeiam um garoto chamado Mauricio. Peço autorização para transforma-los.
— Qual seria o motivo?
— Pelo que investiguei. Ontem a sua filha conheceu um humano.
— Mais um? Isso tem que acabar. Ela nos expõe demais. Os caçadores estão chegando muito perto por causa dos seus descuidos. Eu já me cansei disso.  
— Por isso peço autorização para transformar estes dois. Eles sabem tudo sobre o humano que a Ariane esta saindo. Com a transformação. Eles podem acabar com isso.
— Está autorizado Jaime. Quanto mais rápido isso acabar mas seguro me sinto.
Jaime saiu da sala e pegou o seu carro da garagem. Ele vai até o colégio onde estavam a Viviam e o Edson. Eles estavam na porta da saída do colégio. Jaime saiu do carro e caminhou até eles.
— Viviam! Edson! Meu nome e Jaime. Trabalho para o Sr. D.Lasco ele tem uma oferta de emprego para vocês. Sei que estão precisando de emprego e ele tem muitas empresas.
Viviam Sorri e responde:
— Eu mandei um currículo para lá faz um ano. Finalmente ele nos procurou. Todo mundo gostaria de trabalhar para ele. Este é o meu irmão Edson. Nossa nem acredito que vou trabalhar para ele. Obrigado por ligar e marcar com a gente aqui no colégio.
— Podem entrar no carro. O emprego é urgente e paga muito bem. Por isso vim buscá-los pessoalmente.
Jaime leva os dois para um escritório vazio que ficava no ultimo andar do prédio da gazeta na Avenida Paulista.
— Fiquem aqui que eu já volto com os papéis.
— Tudo bem Sr. Jaime.
Jaime tranca a porta. Os dois começam a conversar.
— Lugar estranho. Tudo vazio. Só tem duas cadeiras.
Neste momento as janelas começam a escurecer até que a claridade da sala desaparece por completo.
— Por que está tudo escuro? Só tem uma pequena luz aqui. Que barulho é esse Edson?
— Não sei... Parece um rosnado.
Eles olham para uma porta. que abre lentamente. Um lobo de olhos vermelhos rosnando entra na sala. Os dois gritam e tentam abrir a porta, mas não conseguem. O lobo morde o pescoço do Edson e isso deixa a Viviam em pânico. Ela tenta de toda a forma sair daquela sala. O lobo olha para ela e se aproxima vagarosamente.
Em um intervalo de meia hora. Com uma xícara de café na mão. Jaime olha o lobo e ele volta para a outra sala.  As janelas voltam a passar a claridade do Sol. Ele vê os dois corpos no Chão. O rapaz estava com uma mordida no pescoço e a garota com uma mordida no braço. Jaime chama dois homens para carrega-los.
Duas horas mais tarde os dois acordam em uma cama. O local parecia um hospital. Eles estavam com as feridas das mordidas devidamente enfaixadas. Jaime entra na sala e começa a falar.
— Vai levar um tempo para a dor passar.
— O que fez com a gente! - Perguntava Viviam.
— Vocês queriam um emprego. Agora são nossos cães de guarda particulares.
Jaime jogou uma foto na cama deles. A foto era do Mauricio.
— Vocês foram mordidos por um lobisomem. Serão nossos lobos. E este rapaz é a sua caça.
Viviam olha para o Edson e eles começam a rir.

Mauricio estava almoçando com as suas mães em seu apartamento. Elas ficavam olhando para ele. O almoço estava muito silencioso. As duas mães olhavam cada movimento do seu filho e ele as olhava, dava um sorriso e continuava comendo. Até que a Selma perguntou.
— Você não tem nada para dizer Mauricio.
— Sim! - Ele dizia todo sorridente e com a boca cheia.
— Finalmente! - Disse Regina - Eu também quero ouvir tudo.
Mauricio levanta as mãos e pede calma.
— Tudo bem! Vamos por partes.
— Certo! Por partes. - Dizia Selma olhando para a Regina. Começando pela...
Mauricio interrompe.
— A Prova de literatura! Isso! Eu fui ótimo! O professor ficou muito satisfeito com a minha nota! Acho que deveríamos comemorar!
Selma e a Regina se olham como se o Mauricio quisesse escapar do assunto principal. Selma complementa.
— Você não está esquecendo nada? Tipo... - Selma faz um sinal com os olhos para o quarto dele.
— Ah! Sim! A Janela!
— Isso filho! - Responde a Regina. — Finalmente chegamos no assunto que queríamos. Quero ouvir todos o detalhes.
— Ah. Bem Rê! Eu estava estudando e de repente bum! Então a janela explodiu. Foi aí que conheci a Ariane e... Uau! Eu nunca tinha conhecido alguém como ela. A gente conversou tanto. Inclusive eu a convidei para jantar aqui em casa hoje a noite e eu ainda não sei o que vamos jantar. Ela é uma vampira e nem sei o que ela pode comer. O que vamos oferecer?  
Regina e Selma Ficam impressionadas com a velocidade que ele explicou tudo com a maior naturalidade do mundo, Regina foi a primeira a falar.
— Filho? Ela explodiu a Janela? Vampira? Jantar hoje? Não! Não!
Selma apoia a Regina e complementa.
— A polícia disse que tinha muitos homens mortos por invadirem outros apartamentos. Essa vampira matou todos eles. E você quer que ela venha para o jantar? Para quê? Será que é para explodir a sala ou a cozinha? Ela vai querer nossos pescoços no jantar?
— Não Selma! Ela fez tudo para se defender. - Mauricio tentava amenizar a conversa mas nada estava dando certo. Selma continuava.
— Uma vampira. Minha nossa Mauricio. Você só tem dezessete anos. sabe lá quantos séculos ela tem. Não sei se riu ou choro.
— Já escrevi músicas sobre vampiros. Acho seres fantásticos Mauricio, mas são perigosos. Você viu o que ela fez neste prédio. Não podemos simplesmente esquecer tudo isso. Falo isso por sua segurança. - Dizia Regina sendo apoiada pela Selma. Mauricio tenta explicar.
— Sei que vocês estão preocupadas. Mas quando vocês conhecerem a Ariane vão ver que ela é adorável e eu...
— Você o que Mauricio? - Peguntava Selma.
— Eu gosto dela Selma. Pensou em namorar com ela.
Regina olha para o Maurício e questiona.
— Mas você só tem dezessete anos. Se ela é vampira não vai poder sair de dia. Sair de noite com a sua idade nem vai poder ir nas baladas noturnas com ela.
Selma defende.
— Regina. Neste caso não posso dizer nada. A idade nunca me impediu de sair. Sempre tem um lugar. Eles podem namorar no quarto. Sei lá.
— Eu sei! Mas deve ser muito estranho. Vai que ela leva nosso filho em um lugar que só tem vampiros e pegam ele como jantar.
— Se ele disse que ela gosta dele.
Mauricio Interrompe e acrescenta.
— Vamos fazer o seguinte. Ariane vem jantar com a gente. Assim todo mundo se conhece melhor e depois vocês podem tirar suas conclusões e eu vou aceitar a decisão de vocês. Tudo bem?
— Já estou até vendo...
— Adivinha quem vem para o jantar!
Todos começam a rir.

Ariane havia chegado no horário marcado. Mauricio veio buscá-la na portaria. Eles se abraçam e se beijam;
— É bom Vê-la novamente. Ariane.
— Mau. Eu já estava com saudades.
Antes dos dois subirem para o seu apartamento. Viviam aparece na porta do prédio e pergunta para o Mauricio.
— É por essa Bruaca que me trocou? Que mulher mais sem sal.
— Viviam. Isso não é da sua conta. Já terminamos.
Ariane sente algo errado e puxa o Mauricio para dentro.
— O que foi Ariane?
— Tem algo estranho aqui. Essa garota não é o que parece.
— Viviam é a minha ex.
— Algo aconteceu com ela. Não é mais humana.
— Ela nunca foi muito humana.
— É sério. Vamos entrar.
Viviam percebe que a Ariane sentiu algo nela e ela pula o portão com apenas um pulo.
— Gostou Mauricio. Eu posso fazer muito mais que isso agora.
Viviam agarra o Mauricio e joga ele em uma distância de cinco metros. caindo no jardim do prédio. Ariane pega Viviam e bate a sua cabeça na parede duas vezes. Viviam Sorri e empurra Ariane na porta de vidro da recepção do prédio. Ariane se levanta rapidamente e assiste a transformação da Viviam em um Lobo. Ela salta em direção a Ariane e tenta morder o seu corpo. Ariane agarra a cabeça do lobo e bate três vezes no chão. Deixando o lobo tonto. Eles se olham por algum tempo e o lobo foge saltando o portão. Ariane corre para o jardim e verifica como está o Mauricio.
— Eu estou bem. Mas no que a Viviam se transformou?
— Ela é um lobo agora. O alvo era você.
— Mais essa agora. Estudamos na mesma classe. Já era difícil. Agora então. Bem. Vamos subir. temos uma reunião com a família. Por favor Ariane. Não diga sobre isso.

Suas mães preparam o jantar sem saber exatamente se a vampira podia comer algo. Selma comentava.
— Temos alho e caso ela queira nossos pescoços eu faço uma estaca com o cabo da vassoura.
— Nosso filho está crescendo Selma. Isso me lembra quando eu era adolescente. Meus pais ficavam impressionados com as minhas loucuras.
— Eu sempre achei que o Mauricio era mais adulto do que os outros garotos da idade dele. A vampira parece que conquistou o seu coração.
— Ele teve boa educação Selma. Você é uma boa mãe.
— Você também é Rê.
Mauricio entra com a Ariane e anuncia:
— Chegamos! Protejam seus pescoços!
— Filho... Que brincadeira. - Regina deu um sorriso e foi até a sala.
— Olha! Esta é a Ariane.
— Muito prazer Ariane. Adorei a decoração que fez no quarto do Mauricio.
— Mãe.
Ariane interrompeu o Mauricio e falou com a Regina.
— Sinto muito por isso Regina. Eu já pedi para o meu pai resolver isso. Amanhã mesmo uma equipe virá aqui e vai deixar tudo arrumado. Todos os andares que foram atingidos será devidamente arrumado. Claro que ele vai dizer que é uma empresa que fará um serviço gratuito para divulgar sua empresa. É uma forma dos vampiros não serem visados pelos humanos.
— Imagino. Deve ser difícil ser vampiro. Muita gente eve procurar vocês para ter uma vida eterna.
— Sim. Por isso somos discretos. Isso também nos protege dos caçadores. Quase sempre.
— Onde está a Selma, Rê?
— Na cozinha. Preparando um suco de alho.
— Rê?!
— É brincadeira. Selma! Ariane já está aqui!
— Eu já vou! Oi! Ariane! Venha sente-se! Tenho muitas perguntas. Afinal não é sempre que uma vampira conversa com a gente. Ainda mais para namorar nosso filho.
— Mãe?!
— Brincadeira. Mas saiba Ariane. O Mauricio é nosso filho único. E só tem dezessete anos. Eu não sei se conhece muitos humanos dessa idade, mas é uma idade onde tudo não tem limite. Por isso acho que se vocês querem namorar. Bom. Só no quarto.
— E sem mordidas. - Acrescenta Regina.
Ariane olha para as duas mães e sorri.
— Não se preocupem. Sou uma vampira que conhece muitos humanos. Meu pai tem muitas empresas. Ele cuida de muita gente. Somos uma família discreta e ajudamos muita gente. Existem os caçadores sim. Mas não atacam os humanos só a gente mesmo.
— Mas todo o cuidados é pouco. Mesmo assim acidentes acontecem. Por isso acho que, por enquanto namorem no quarto. - responde Selma.
— Tudo bem para mim. Quero muito namorar com o filho de vocês. Ele me salvou. É um homem e tanto. Gentil e carinhoso.
— É que minhas mães cuidam bem de mim e são maravilhosas.
— São mesmo.  - Completa Ariane. — Mauricio me disse que você fez umas músicas sobre vampiros para a sua banda Regina. Eu quero ouvi-las.
— Agora você está falando a minha língua Ariane. Sim! Eu adoro compor e cantar. Depois passo as músicas para você. Por que vocês não ficam no quarto? Assim ficam mais a vontade. Se precisarem de algo é só chamar.

Mauricio e Ariane vão até o quarto e fecham a porta. Ariane o abraça.
— Que tal uma dança Mau?
— Agora? Aqui?
— Sim. Quero você perto. Sei que temos muitos desafios mas eu quero vencê-los com você ao meu lado. Quero fazer tudo com você por perto.
— Você é uma vampira Ariane. Talvez eu apenas preencha um décimo da sua vida.
— Este décimo será melhor do que toda a minha vida.



Por
Adriano Siqueira   
Postar um comentário

Banner deste blog

Banner deste blog
Contos de Vampiros e Terror

  ©CONTOS DE VAMPIROS - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo