Livro Luar de Sangue da autora Dione M. S. Rosa

Livro Luar de Sangue da autora Dione M. S. Rosa
Livro que pode ser adquirido diretamente com a autora - clique no banner para conhecer o blog da autora.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Momentos Noturnos - Poemas e Crônicas Vampíricas - gratuito


"Momentos Noturnos - O sentimento dos vampirosde Adriano Siqueira, é uma coletânea disponibilizada gratuitamente para colecionadores e para quem aprecia textos deste gênero. A maioria é sobre mulheres vampiras e sobre o obscuro pensamento dos Vampiros. Contém mais de 46 poemas, poesias e prosas e 23 crônicas vampíricas que foram escritos desde 2001 até hoje.

São 14 anos de trabalho disponibilizado por completo.



Abraços e obrigado sempre pelo apoio e pela leitura
Adriano Siqueira

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

A Vampira de Vermelho - Conto de Horror e Vampiros





- A Vampira de Vermelho -

Autor Adriano Siqueira


Local: Mata Atlântica.
Reinaldo e seu amigo Fabio trabalham como ecofisiologistas. Este trabalho esta diretamente ligado à pesquisa para compreender os fenômenos da natureza. Neste caso, as arvores da Mata Atlântica... Mais especificamente a Jatobá. Em 2000 eles formaram juntos com o EUA uma fundação para proteger e estudar as arvores. Eles estavam ali para verificar uma denuncia... Estavam preocupados. Estas arvores são ecologicamente essenciais. Elas ajudam nas suas funções ecológicas na fase final de formação da floresta.
Quando eles chegam ao local ficam completamente paralisados. Finalmente Reinaldo retira o celular do bolso e diz:
— Está confirmado! Mais de cinquenta arvores sumiram!
Fabio, ainda atônito fala com Reinaldo.


  Se a denuncia for completamente verdadeira essas arvores não foram derrubadas para fazer moveis material de esporte... Mas sim...

Reinaldo interrope...


  Isso mesmo Fabio... Foram usadas para produção em longa escala de estacas para matar vampiros!


  Mas isso é lenda!


  Olhe a sua volta... Lenda ou não as arvores sumiram!



---------------------------------------------------------------------------

Local: São Paulo
Roberto mora com a filha Katrin de 18 anos. Enquanto ela desmontava a arvore de natal ele estava assistindo ao noticiário das oito. A repórter dizia claramente sobre as arvores desaparecidas.
  E conforme o nosso contato, as arvores sumiram faz mais de um mês! Elas tinham mais de 100 anos e foram transformadas em simples estacas de madeira para, acreditem se quiser... Matar vampiros!
Katrin olhou para seu pai e disse:
  Vampiros? Pai... Que tipo de gente derrubariam árvores para fazer isso?
  Esse mundo é insano Katrin.
Roberto sai da sala e vai até o seu quarto. Pega o baú que estava em cima do guarda—roupa e dentro dele... Uma estaca de madeira ainda com sangue... Ele escuta a janela da sala se quebrar. Ele se assusta e deixa a estaca cair e logo em seguida ouve o grito de sua filha. Ele pega a estaca e corre, mas já era tarde...
Ela foi levada...
Levou duas noites para que Roberto desmaiasse devido a exaustão e procurar a sua filha. Na terceira noite um vulto aparece em frente à janela quebrada.
Roberto estava segurando a estaca com as duas mãos. Um vento frio atravessava a janela e e poucos segundos sua estaca desaparece e ele é lançado para a parede da sala como se fosse atropelado por um caminhão... Roberto estava quase inconsciente quando o agressor o carregou e o amarrou em uma cadeira.
Ele quebrou algumas costelas e sua cabeça sangrava.
  Acorde rapaz... Dizia aquele ser que mal aparecia no escuro... Uma manta preta cobria o seu corpo forte e media quase dois metros de altura. Sua voz multiplicava pelos cantos da sala. — A noite ainda não acabou...
  Q-quem é você!
  Alguém que perdeu alguém por causa disso...
Ele coloca no colo do Roberto a estaca...
  Como foi mesmo que fez... Ah... Sim! Você e mais quatro amigos viram um anuncio de como ganhar dinheiro fácil. Ganharam as estacas com uma lista de endereços. Nem perguntaram... Entraram de dia no apartamento dela abriram caixão, matelaram a estaca profundamente até atravessar o caixão... Enfiaram espinhos por todo o corpo. Logo em seguida cortaram a sua cabeça e colocaram nos seus pés. Ainda não suficiente... Jogaram gasolina por todo o corpo levaram para a varanda e tocaram fogo.
Roberto estava perdendo os sentidos quando ele segurou seu cabelo e levantou a sua cabeça. – Preste atenção.
Ele retira uma câmera do bolso e mostra através do visor de cristal liquido quatro homens com estacas enfiadas em suas bocas e logo em seguida eles são queimados.
Roberto estava desesperado... Eram seus amigos. Mortos por aquele vampiro que estava na sua frente...
  Minha filha... Por favor, ela não tem culpa.
  Cale-se! Como pode pedir piedade depois do que fez? Nem ao menos se peguntou sobre essas estacas... Quantas dessas estão por ai? De onde vieram? Quantas da minha gente foram destruídas? Não importa! Ela era especial para mim.
O Vampiro foi até a janela e olhou para a lua.
  Todo o natal a gente se encontrava para falar sobre o que aconteceu no ano. Era sagrado. Dá para acreditar? Vampiros se encontrando no natal... Mas eu gostava pois ela aparecia sempre de vermelho. Era a nossa noite especial e eu aproveitava pois sabia que só a veria no natal... assim ela queria. Assim eu gostava. Mas ela não apareceu neste natal e quando eu a procurei achei seu corpo queimado... Vocês mataram uma vampira que jamais tocou em um humano. Ela sempre dava um jeito de conseguir seu alimento e pagava por ele. Tínhamos uma empresa onde existem pessoas que doam o alimento para nos em troca de dinheiro e compramos. Assim fizemos por muito tempo até você acabar com tudo. Minha sede não era mais saciada por aquele sangue comprado... Eu queria diretamente da fonte... Posso dizer que me deixou mais forte e me devolveu o prazer da conquista pelo alimento e por esse motivo eu agradeço por me devolver esta vontade de devorar cada gota diretamente da carne.
  Mate-me! Leve tudo... Apenas traga a minha filha...
O vampiro dá um sorisso.
  Oh... Mas eu não posso fazer isso... Matar você tiraria o meu prazer de vê—lo sofrer.
Novamente o vampiro mostra um outro filme.
Roberto arregala os olhos quando vê a sua filha na tela... No chão...Desfalecida... Cheia de sangue... Abrindo lentamente os olhos ela sorri... Seus dentes... Meu Deus...
  Argh! Eu odeio essa mania que os humanos tem de chamar divindades nestas horas! Que importa... Ela está voltando! Oh... Sim!
  Sua filha logo estará aqui! Assim poderei assistir bem de perto ela degustar a sua primeira refeição.
  Pois é... O natal está indo embora, mas os presentes duram para sempre.
  Ela virá de vermelho e sempre nos encontraremos no natal!


  Boas Festas!

Autor Adriano Siqueira

domingo, 13 de dezembro de 2015

TABULEIRO OUIJA - Você Sabia?

sábado, 12 de dezembro de 2015

Histórias de Ficção e Horror - por Adriano Siqueira


Histórias de Ficção e Horror - por Adriano Siqueira
As histórias de Ficção e Horror traçam um caminho imaginário que nos leva aos mistérios e ao suspense. Nessas histórias o leitor vai encontrar muitos personagens estranhos e com toques macabros cheios de insanidade e loucura. 
Convido vocês a conhecerem as histórias que podem levá-los para vários mundos, onde tudo pode acontecer. 
link para ler as histórias - 
https://www.wattpad.com/story/56296155-hist%C3%B3rias-de-fic%C3%A7%C3%A3o-e-horror
Bem-vindos às Histórias de Ficção e Horror
Escrito por Adriano Siqueira
Capa e ilustração por Anderson Siqueira

O Exorcista de Carros Assombrados - por Adriano Siqueira


3 histórias sobre o Exorcista de Carros Assombrados.

Sobre o personagem: 
Luney é um exorcista de carros assombrados, foi criado em 2004 pelo escritor Adriano Siqueira, o personagem nasceu em São Paulo e passa as suas noites caçando carros para exorcizar. Suas histórias já foram publicadas em vários livros e até hoje ainda faz muito sucesso.
"Luney - o exorcista de carros assombrados", Personagem que criei em 2004. O personagem participou dos livros: ADORÁVEL NOITE 2011 na história "O Carro maldito" e também participou do livro ESPECTRA HISTÓRIAS DE FANTASMAS 2011 nele escrevi a história "70 Km por hora". Luney também fez uma ponta superimportante no meu livro "A MALDIÇÃO DO CAVALEIRO 2012" no capítulo "Cale a boca e dirija".
As história "Fator Montese" tem também grande participação do Luney.

Leia as histórias neste link - 
https://www.wattpad.com/story/56510897-o-exorcista-de-carros-assombrados

Casa das Rosas vai exibir o filme "Drácula de Ford Coppola" ao ar livre



Casa das Rosas exibe 'Drácula de Bram Stoker' ao ar livre

O Filme Drácula de Bram Stoker 1992 é um dos filmes mais apreciados sobre o Conde Drácula
No filme o diretor Francis Ford Coppola misturou a obra do Drácula com Nosferatu os efeitos das sombras utilizado no filme Nosferatu 1922 é mostrado diversas vezes neste filme.
O filme também ganhou oscar de melhor figurino e maquiagem.
A trilha sonora é espetacular.

A Casa das Rosas, que fica na Avenida Paulista - São Paulo, vai exibir este filme ao ar livre no dia 17 de dezembro Quinta-feira às 20hs


abraços Adriano Siqueira

Peça de Teatro Nosferatu no Cemitério Araça 18/12/2015

Apresentação da peça ''Nosferatu'' no dia 18 de dezembro as 20hs,no Cemitério do Araçá (Capela).
Entrada Gratuita. 
Chegar com 30 minutos de antecedência para retirada dos ingressos (40 lugares).




Na adaptação do clássico filme mudo de horror Nosferatu, de F.W. Murnau (1922), Hutter, morador de uma pequena cidade alemã, é um jovem corretor de imóveis que está envolvido na venda de uma casa para o excêntrico conde Orlock, um nobre da longínqua Transilvânia. Mal sabe que está lidando com um vampiro que espalhará a morte em sua cidadezinha - incluindo Ellen, sua bela esposa. O espetáculo procura trazer o público para uma atmosfera de sonho, beleza e horror. Para isso, combina a estética expressionista com uma trilha sonora hipnótica.

Página do Evento - https://www.facebook.com/events/1633718623547401/


Próxima apresentação em 18/12/2015 sexta-feira



quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Adriano Siqueira integrante da Academia de Letras José de Alencar



Olá Pessoal, 
Hoje, oficialmente faço parte da "Academia de Letras José de Alencar". Agradeço muito todo o apoio da escritora Dione Souto Rosa e da academia. Dione me representou na minha posse e mandou a imagem do meu diploma que logo estará em minhas mãos,  
Faço muito por todos, pois merecem todo o carinho do mundo e com certeza neste ano de 2016 vou realizar muitos projetos. Vi que no site do Sr. Hamilton Bonat, que ele colocou uma nota parabenizando os novos acadêmicos. agradeço ele também pelas palavras. http://www.bonat.com.br/saudacao-aos-novos-academicos-da-academia-de-letras-jose-de-alencar/

Em breve, mostrarei pessoalmente o meu diploma e o bottom para vocês. Estou muito honrado e agradecido.


A escritora querida Dione Souto Rosa segurando o meu diploma de posse da academia de Letras José de Alencar.





Abraços e obrigado demais pelo apoio e leitura de todos vocês.
Adriano Siqueira

A PEDRA DE ROSWELL - Você Sabia?

quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Conheça mais os personagens da história "Fator Montese"



Olá pessoal,
O Fator Montese é uma história que reúne muitos personagens meus em uma única aventura.
Segue abaixo um resumo sobre cada personagem que está participando desta história e também os capítulos produzidos.






Segue abaixo os capítulos produzidos da história Fator Montese.


Abraços e obrigado sempre pela leitura e apoio.
Adriano Siqueira

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Fator Montese Parte 12



Fator Montese
Parte 12

Luney e o Cavaleiro Valente estavam (agora é para valer) a procura de um outro caminhão que carregava um programa com a outra metade do código para completar o Ritual Montese. Por causa do caso em que eles estavam o carro foi perdido e a Alicia Zoom foi buscá-los. O Cavaleiro Valente ainda estava pensando no caso anterior.

— Luney, Se eu tivesse um cachorrinho faria de tudo para ele viver.
— Você não tinha um cavalo?
— Sim! Ele era o valente da história. Gostava do meu cavalo. Sinto falta dele.
— Um dia você volta para o seu reino e recupera tudo que perdeu.
— O tempo. O tempo é tudo que a gente acaba perdendo Luney. Se eu voltasse para meu reino. Eu não seria mais o mesmo. Passei por tantas aventuras. Eu cresci muito.
— Talvez você poderia ser até um rei.
— Edgar. O rei. Eu ainda vou encontrá-lo. Ele vai pagar por tudo que fez. Por tudo que ele tirou de mim.
— Espera Valente. O celular está tocando.
— Deve ser o Neculai. o Vampirulito.
— Eu ouvi isso Valente... Ha Ha Ha. Seu humor me faz bem. Ha Ha Ha. Estou passando as coordenadas do caminhão para o GPS assim vocês podem localizar mais rápido. Tomem cuidado. quando acharem o caminhão desativem o sistema que impede o sinal do celular. Deixem um celular dentro do caminhão e eu cuido do resto.
Luney responde com rapidez.
— Tudo bem para mim.
— Por que desligou? Eu não...
Luney faz um sinal de silêncio para o Cavaleiro Valente e alerta que a Alicia confia no Neculai e ela pode contar tudo que eles falam.
— Alicia! Temos que pegar a arma do Valente. Ele amarrou os seguranças com ela e deixou lá.
— O celular tocando novamente.
— Ha Ha Ha. Adivinha quem pegou a arma do Valente? Ha Ha Ha; Alias é uma ótima arma. Nas mãos certas seria uma grande forma de ganhar uma guerra.
— Neculai. Eu não tenho como ganhar de um exército sem ela.
— Não se preocupe Valente. Eu estou na minha moto e estou perto do caminhão. Eu entrego para você quando desligar o sistema que me impede de entrar nele.
— Você é esperto Neculai.
— Sempre Valente. Faz parte do Sangue e Desespero. Ha Ha Ha.
— Parece que vamos ter que cumprir esta missão Luney.
— Mas... Onde será que está o Lord Dri?
Neculai estava na moto seguindo o caminhão. Assim que o Valente e o Luney conseguissem completar a missão Neculai conseguiria completar o programa digital do Ritual Montese. Neculai maginava como seria poderoso e assim ele poderia mandar um exército para qualquer lugar do mundo apenas uma ligação. Ele protegeria o seu país. Ee transformaria o seu país no primeiro mundo. Muitos se curvariam diante o Brasil. De repente ele é arrancado da moto e seu corpo bate várias vezes no chão. Neculai olha para a estrada e vê o Lord Dri na sua frente. Neculai pede calma enquanto tentava se levantar. O Lord continuava parado e quieto.
— Ha Ha Ha. O vampiro tradicional. Para quê tanta violência? Estavamos quase terminando.
Neculai pega a arma do cavaleiro valente. Com a força do pensamento a espada começa a se transformar em muitas armas diferentes. Lord Dri adverte.
— Nenhuma arma vai te salvar Neculai. Não dessa vez.
— Por quê Lord? Eu sou um bom vampiro. Você tem o seu mundo. Sempre foi o maior de todos. É o tradicional. Tem todos os poderes dos antigos vampiros.
— Pare de me bajular Neculai! Confessa que você matou Angelo Donnati!
— Eu não o matei. Estava ocupado fazendo download de uma parte digital do Ritual Montese. Eu não tinha como salvá-lo quando ele foi atacado e caiu do caminhão.
— Mentira! Sua ganância fez isso. sua ganância vai levar todos nós para o inferno.
— Minha ganância vai salvar este país! Eu não sou um vampiro que fica de braços cruzados vendo os humanos morrerem. Eu os protejo Lord Dri. Eles me querem.
— Você manipula os humanos Neculai. Você faz os seus jogos sórdidos para conquistar o seu maldito Desespero!
— Alguém tem que divertir no meio deste caos não é? Veja só você Lord. Todo este seu poder e ninguém quer a sua ajuda. É ingênuo demais. Muitos preferem não precisar de você. Esta velho. Ultrapassado. Eu! Eu sou o vampiro que este mundo precisa! Eu sou o messias, o arauto, o...
— O Assassino! O Ditador! E eu vou acabar com você Hoje e Agora Neculai.
Lord Dri se transforma em um lobo e corre na direção do Neculai que levanta a espada e espera para atacar o lobo.
O carro onde estava o Luney, Cavaleiro Valente e a Alicia Zoom, passam entre eles e o Cavaleiro Valente toma a espada do Neculai e continua a seguir em frente com apenas um grito do Valente.
— Obrigado por guardar minha espada.
Alicia tenta ajudar o Neculai mas o Luney adverte.
— Melhor seguir com nossa missão. Neculai sabe se cuidar.
Desarmado. Neculai é atacado pelo lobo. Ele tenta desviar das mordidas mas o lobo morde com muita força o seu ombro. Neculai chuta o lobo várias vezes até que o lobo solta por alguns segundos. Lord Dri se transforma em um urso e ataca com suas garras. Neculai é jogado em uma distância de dez metros. O Urso morde uma das pernas do Neculai e começa a arrastá-lo no asfalto por uns cem metros e depois o solta.
— Foi assim que o Angelo morreu Neculai. Arrastado no asfalto? Como se sente?
Neculai sorri e tenta se levantar. Ele pega o celular e desaparece.
— Não! Maldito!
Lord Dri se transforma em morcego e usa a sua visão especial tentando localizar alguma pista sobre o Neculai e ele acaba achando um pequeno rastro luminoso. Lord Dri voa o mais rápido possível até chegar em um posto de gasolina onde uma mulher que estava no carro tinha um celular que estava tocando. Lord Dri toma o celular das mãos da mulher e atende.
Neculai aparece atrás do Lord e prende o seu pescoço com o braço. O Lord se transforma em névoa. As pessoas começam a correr do posto de gasolina. Neculai pega um extintor de CO2 do carro e liga apontando para a névoa transformando-a em estado sólido. Neculai arranca a mangueira de onde sai a gasolina fazendo com que ela se espalhe pelo chão. Ele Liga o carro e vai até uma distância segura. Ele arranca a porta do carro e joga no posto de gasolina. O impacto da pancada da porta no chão causa uma faísca fazendo com que o posto de gasolina explodir completamente.
Neculai sorri e comemora.
— Adeus Lord Dri. A era dos vampiros tradicionais finalmente acabou. Ha Ha Ha. O mundo agora pertence ao Neculai Ha Ha Ha. Vou tirar uma selfie junto com o incêndio para mostrar para os meus fãs.




Continua...

por Adriano Siqueira




Banner deste blog

Banner deste blog
Contos de Vampiros e Terror

  ©CONTOS DE VAMPIROS - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo