O Sangue dos Vampiros - clique aqui

O Sangue dos Vampiros - clique aqui
conheça mais sobre o livro O Sangue dos Vampiros - 2017

Livro Luar de Sangue da autora Dione M. S. Rosa

Livro Luar de Sangue da autora Dione M. S. Rosa
Livro que pode ser adquirido diretamente com a autora - clique no banner para conhecer o blog da autora.

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Johnny Bloody, o Vampiro Rockabilly - Parte 2



Johnny Bloody, o Vampiro Rockabilly - Parte 2
Um vocalista vampiro quer mais sangue e mais música.


Toda a banda do Johnny estavam reunidos no apartamento assistindo os comentários da TV. 
─ A banda "Johnny Bloody and The Kathakumbs" é um sucesso.
─ Com a volta do Johnny Bloody a banda será um estouro.
─ Será que Johnny é mesmo um vampiro?
─ Se for eu quero que ele me morda.

Neste momento Kate Bathorya entra no apartamento segurando um jornal e grita:

─ Desliga a TV! Johnny o que significa isso?
Kate mostra a manchete do jornal dizendo que uma garota que assistiu o show do Johnny está desaparecida.

─ O que você fez Johnny?
─ Eu mordi ela Kate.
─ Regras Johnny. Não pode morder o seu público. Isso chama a atenção da imprensa.
─ Eles me querem Kate. Em troca dou para eles o que eles querem.
─ Não Johnny. Isso vai chamar a atenção dos caçadores. Não quero problemas com isso. Vou ter que gastar muito dinheiro com os advogados agora, para poder limpar sua sujeira.
─ Que se dane a sujeira Kate. Vou dar uma volta.
─ Não se atreva a sair. Ainda temos muito o que...

Johnny bate a porta do apartamento e ela fica com os três componentes da banda. Cash, Billy e Joe.
─ Ele tem muito o que aprender. Completava Joe.
─ Johnny sabe que também somos diferentes? - Perguntava Billy.
─ Eu ainda não disse nada sobre vocês.
─ Ele vai descobrir. Cedo ou tarde. - Alertava Cash.

Do lado de fora. Johnny passeia na calçada e pensa sobre a sua nova vida. Como ele vai se adaptar. Como será a sua vida agora que ele tem que se esconder da imprensa o tempo todo. Ele olha as lojas e os carros passando no centro da cidade de Curitiba. Senta no banco da praça Rui Barbosa e fica olhando a Paróquia Senhor Bom Jesus dos Perdões e se pergunta.
─ Será que posso entrar lá?
Johnny vai ao encontro da paróquia. Sobe as escadas e sente seu corpo tremer. Ele insiste. Chega até a porta da paróquia. Suas pernas enfraquecem, suas mãos tremem. Johnny se arrasta. ele chega até o meio do corredor da paróquia e tudo fica escuro. Ele sente seu corpo ser arrastado para fora.
Johnny abre os olhos e vê a Kate.
─ Quer cometer suicídio?
─ O que aconteceu comigo?
─ Perdeu as forças. Você é um vampiro.
─ Pensei que os vampiros não tinham medo de religiões.
─ Você é um vampiro tradicional. Não se aproxime delas entendeu?
─ E você Kate? Se é uma vampira como eu, como ficou imune?
─ Magia. Joe é o guitarrista da banda. Ele é feiticeiro. Um feiticeiro morto-vivo.
─ Um feiticeiro Zumbi na banda? E é guitarrista?
─ Você ainda não conhece todos da banda e seus poderes. Todos são especiais. Eu cuido deles faz muito tempo. Agora vamos voltar para o hotel.
─ Não ainda. Eu sou novo na cidade. Ainda é noite. Quero andar um pouco.
─ Eu entendo Johnny. Tudo é novo para você. Mas se seguir as regras pode viver mais tempo.
─ Pensei que regras eram para humanos e agora estou envolvido com regras novamente.
─ É para sua sobrevivência apenas. Se segui-las será um bom vampiro.
─ Vou pensar nisso no caminho.
─ Te vejo no hotel.
Johnny caminha por algumas ruas e escuta um grito. Ele vê um homem assaltando uma garota que está encostada em um Bondinho. Johnny grita:
─ Solta ela. Agora!
─ O assaltante pega o revolver e mira em Johnny. Ele não se intimida e continua na direção do assaltante que atira duas vezes, mas o Johnny apenas olha para os buracos na sua jaqueta e fica furioso.
─ Minha jaqueta nova!
O assaltante fica desesperado e começa a correr. Johnny aparece na frente do assaltante que esbarra no vampiro e cai no chão.
─ E-eu só queria um dinheiro. Não me machuque.
─ A garota está com a roupa rasgada.
─ E-ela deve ter tropeçado. Não fui eu.
A garota chega bem perto do assaltante e chuta a face dele.
─ Você rasgou minha camiseta. Tentou me segurar.
Ela deu outro chute na cara do assaltante e ela começou a chutá-lo. Johnny segura ela.
─ Calma. Acho que ele aprendeu a lição.
─ Ok. Eu já me acalmei.
Johnny solta a garota e ela começa a chutar o assaltante novamente e grita:
─ Agora eu estou calma. Calma! Calma! Maldito!
Johnny puxa a garota.
─ Já chega! Quer matar o cara?
─ Desculpe. E-ele rasgou minha camisa.
─ E dai? Você já está salva. Ele já aprendeu a lição. Deixa o cara.
─ Tudo bem. Eu estou bem.
─ Vou arrastá-lo para perto do Bonde. Fique aqui.
─ Certo.
─ Pronto. O assaltante não incomoda mais ninguém.
─ Nossa você foi rápido. Mas... sua boca tem sangue.
─ Ah... Eu devo ter me ferido. Tem um lenço?
A garota se aproxima e beija a boca do Johnny.
─ Isso foi inesperado.
─ Foi. Você gostou?
Johnny segura os braços da garota e a beija, logo em seguida responde.
─ Adoro surpresas. Qual o seu nome garota.
─ Betany Bay.
─ Legal. Eu sou...
─ Todo mundo sabe quem você é Johnny Bloody.
Betany o abraça e os dois se beijam por um longo tempo.



Por Adriano Siqueira

Músicas que indico para ouvir
https://www.youtube.com/watch?v=JPLaUkaigoo

https://www.youtube.com/watch?v=-lSeOlSL9Ec



Link para a parte 1 -
http://contosdevampiroseterror.blogspot.com.br/2016/10/johnny-bloody-o-vampiro-rockabilly.html

Postar um comentário

Banner deste blog

Banner deste blog
Contos de Vampiros e Terror

  ©CONTOS DE VAMPIROS - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo